Acesse a Área Exclusiva dos Pacientes Amai

O que falar para as crianças antes da primeira visita ao dentista – Odontopediatra

Publicado em: 08/07/2011

Última atualização em: 08/07/2011

Categorias: Educação, Medo de Dentista, Odontopediatria

Autor: Doutora Carmem

Muitas crianças vêm “atoladas”  de informações à respeito do que será sua visita ao odontopediatra.

Chega a ser engraçado, e fico imaginando o que elas conseguem imaginar, do que será esse “evento”. Tenho vontade de desenhar e pintar o cenário para os pais terem uma idéia de como ela deve sentir-se!! Pensando nisso, vou pelo menos tentar expressar em palavras o que encontro.

Tudo o que acontece nessa hora gira em torno da insegurança dos pais do que poderá acontecer na cadeira do dentista. Começando por aí, quanto mais mostramos insegurança, falando muito, dando muitas explicações, prometendo passeios e presentes, mais a criança sentirá que deve ter alguma coisa de errado na situação! Ela se sentirá insegura.

Portanto, os pais precisam saber que a experiência da criança pode ser diferente da experiência dos pais ou adultos. (clique aqui e leia sobre como deve ser uma clínica de odontopediatria)

A vida da criança tem como centro o brincar, tudo para ela é uma festa. Então, porque não manter a leveza, a fantasia e a alegria?

Esse é um bom começo:

”Lá você vai brincar, mostrar seus dentinhos e aprender a cuidar deles. Nossa, estou morrendo de vontade de ver o que essa tia/tio ou essa tal de Dra./Dr. Fulano tem guardado para mostrar para você e ensinar para nós!!” Soando genuinamente feliz, alegre, tranqüila, divertida  e curiosa. E só, isso já basta.

Outro ponto: se essa fala for repetida à exaustão, poderá ter efeito contrário, ou seja, ao invés de tranquilizar, trará preocupação, evidentemente.

Outra sugestão é não fazer promessas desnecessárias, por vários motivos.

Por exemplo:

*Você não precisa prometer que vai entrar junto com a criança na sala. Ela poderá entrar sozinha, dependendo de como for a conversa inicial com a profissional, e assim começar a estabelecer um vínculo de confiança. Caso ela entre sozinha e se arrependa ou deseje eventualmente a presença dos pais, nada impede que a profissional peça que ela entre. Mas a sugestão inicial, mas não padronizada, é que tentemos uma abordagem “solo”.

Quando os pais estão juntos à criança, mal conseguimos muitas vezes realizar o exame clínico!! Quando realizamos o exame inicialmente sem os pais e pedimos para que entrem depois para mostrar aspectos da dentição,  conhecemos uma criança completamente diferente.

Agora, se a criança teve experiências anteriores, se tem determinada idade, se tem um temperamento específico, tudo isso precisa ser conversado antes.

É para isso que serve a primeira consulta. Toda conduta já nesse primeiro momento, vai direcionar todo o futuro da criança no consultório. É preciso paciência, é preciso dedicação e muita conversa, para que os pais comecem a sentir a segurança que vão transmitir à criança.

Pensando na natureza infantil,  na magia e na fantasia que eles vivem como realidade, estaremos na direção certa.

Todos os monstros e bicho-papão, são por conta dos adultos.

Dra. Carmem Silvia

Veja também os temas:

16 Comentários:

  1. Ritta Macêdo disse:

    Boa tarde Dra.
    Meu filho tem 3 anos tinha os dentes bem brancos e sempre que o levo ao dentista ele se recusa a abrir a boca. Levo como prevenção mas não consigo que ele abra a boca. de um mês pra cá o pediatra passou pra ele tomar complexo B e Ferro. e os dentes dele estão com manchas amareladas. Não usava pasta dental com flúor para evitar fluorose mas fiquei com receio de se transformar em cárie. tem algum método para ele abrir a boca? Preciso me preocupar com essas manchas?

    • Doutora Carmem disse:

      Ritta,
      Sugiro que você consiga fazer um acompanhamento satisfatório de seu filho.
      São muitas questões pendentes, não? Procure um profissional que possa examinar seu filho e depois de criteriosa consulta, possa te responder a todas essas questões de forma individualizada. Essa deve ser sua busca, sua preocupação.
      Boa sorte,

      Dra. Carmem Silvia.

  2. Elisangela disse:

    Olá,Dr.Estou desorientada minha filha tem 6 anos e vai ter que fazer um canal a odontopediatra tentou me tranquilizar.Trabalho o dia todo ela fica com minha mãe.Quando se fala criança com carie desleixo da mãe é o que agente sempre ouve a cárie dela é só no meio dos dentes.É verdade que se sente dor após o canal?

    • Doutora Carmem disse:

      Elisangela,

      Um caso bem conduzido, não trás sofrimento ou dor para a criança.

      Dra. Carmem Silvia.

  3. Jácia disse:

    Bom dia Drª Carmem
    meu filho tem 4 anos de idade e está rangendo somente um dente, que é o da frente, já levei no pediatra, odontopediatra e não conseguir diagnosticar a causa, mas a Odonto mandou procurar outro profissional para averiguar a situação emocional do meu filho.Ele estava rangendo somente de dia e agora percebo que está rangendo de noite. Ele tem rinite alérgica, marquei o otorrino para avaliar a situação dele também. Percebi que quando se aborrece na escola, piora. Já falei com a professora dele para observar o que está acontecendo na sala de aula com os amiguinhos, mais nada de explicação. Devo procurar logo um Psicólogo? Gostei muito do site, gostaria de obter uma ajuda ou conselho.

    • Doutora Carmem disse:

      Jacia,

      Se você achar que a comunicação dele na escola ou perceber que haja qualquer outro problema nas relações dele, leve a um psicólogo.

      Mas isso não vai garantir que pare o bruxismo.

      Segue o link de artigo sobre bruxismo, e se ainda tiver alguma dúvida, nos ligue.

      Bruxismo (ranger e/ou apertar os dentes) :

      http://www.clinicaamai.com.br/bruxismo-em-criancas

      Boa leitura!

      Dra. Carmem Silvia.

  4. Denise disse:

    Drª, da pra fazer canal em dente de leite sem anestesia?
    A odontopediatra da minha filha(6 anos) disse que ela vai ter que fazer e que não precisará de anestesia porque o dente esta morto. Existe isso?

    • Doutora Carmem disse:

      Denise,

      Posso falar de minha experiência profissional.

      Quando há qualquer procedimento no qual a criança corre o mínimo risco de sentir dor, eu anestesio.

      Mesmo com a polpa morta, a lima, durante a limagem dos condutos, pode encostar no osso, e a criança sentir dor.

      Eu particularmente acho que para estabelecermos um grau de confiança absoluta, se dissermos para os pequenos que não irão sentir dor, temos que cumprir a nossa palavra.

      Eu não tenho receio em anestesiar, mas sim de perder a confiança da criança.

      Ou de não limar o suficiente e limpar os condutos adequadamente, por medo da criança sentir dor.

      Mas como te disse, esta é uma opinião pessoal, é como eu sinto que devo fazer.

      Boa sorte!

      Dra. Carmem Silvia.

  5. geisibel disse:

    Oi dra Carmem,Deus te abençoe pelo video e as orientaçoes,a primeira consulta gracas a Deus foi tranquila,transmitir muito tranquilidade p/meu filho,e a profissional me pareceu ser experiente como a senhora.dia 14/03 ele vai iniciar o canal,e vai ter que extrair um dente.Mas estou crendo em nome de Jesus,que vai dar tudo certo.E que Deus continue abencoando seu trabalho,espero um dia conhece-la,pois atraves das suas orientaçoe,que decidir levar meu filho mas rapido no dentista.bjos geisibel Betim MG

    • Doutora Carmem disse:

      Ei Geisi!

      Fico mmmmuuuuiiiiitttooo feliz com as boas novas!!!

      Parabéns e boa sorte!
      Quando vier a São Paulo, venha me visitar!

      Carmem Silvia.

  6. […] algumas sugestões do que dizer para a criança  antes de ir ao dentista você encontra no artigo “O que falar para as crianças antes da primeira visita ao dentista?“. […]

Deixe o seu Comentário

Clínica Amai: Fone: (11) 3284 5162 • contato@clinicaamai.com.br
R Itapeva, nº 500 - cj. 7A • São Paulo - Próx. a Avenida Paulista (mapa)