• Dra. Carmem

Brinquedos e Brincadeiras

Atualizado: 9 de Set de 2019


Atualmente, não temos a noção de que tipo de informação ou conhecimento possa transformar nossa visão de mundo, ou alterar de maneira surpreendente nosso universo interno.

Pensar no desenvolvimento infantil através dos brinquedos e brincadeiras pode ter esse poder de nos emocionar, e modificar nossa visão das possibilidades para a educação das crianças. A criança vem para o ambiente terrestre, a partir de um meio completamente distinto, escuro, quentinho, protegido, e tudo o que ela precisa para sobreviver tem que ser aprendido: respirar, alimentar-se, levantar a cabeça, sentar-se, ficar de pé e finalmente andar.

Já nos primeiros meses de vida, começa a perceber seu entorno, através do observar e brincar com as mãozinhas, com os pezinhos e depois, quando já conseguir pegar objetos, jogando-os no chão repetidamente, escutando e divertindo-se com o barulho e a maneira como caem no chão. Esta é a primeira oportunidade de vivenciar a força da gravidade, que será retomada mais intensamente, quando começar a aprender a andar.

O corpo, que a princípio é um elemento desconhecido, passa a ser o canal de percepção, pois tudo terá que ser vivenciado através dele, para que se torne conhecido. Este processo é executado intensamente pela criança com as mãos, pés, boca e barriga, nos primeiros sete anos de vida. Quando a criança em idade escolar aprende sobre determinado assunto, como os rios, por exemplo, é fácil entender como será diferente se ela tiver experimentado a água na natureza: os pingos quentes da chuva, a água cristalina do riacho em suas mãozinhas, areia úmida em sua roupa. Fica claro então, observando várias crianças e até adultos, quais tiveram experiências ricas e intensas ao brincar.

O adulto terá em seu repertório, os sentimentos provenientes de experiências vividas na infância. Pouca ligação ele poderá ter com uma história de amor, caso não tenha vivenciado o amor na infância. Desta forma, os brinquedos transmitem experiências sobre a natureza humana e suas criações. Eles devem permitir à criança, conhecer a Terra, confrontar-se com a força gravitacional e os elementos: ar, água, fogo e terra. A estimulação da atividade sensorial das crianças deverá acontecer no primeiro setênio, para que haja o despertar de outros sentidos mais tarde.

Portanto, materiais como tecidos de algodão ou lã, feltro, madeira, conchas, casca de árvores, sementes de todos os tipos, pedras e raízes, podem estar presentes nos brinquedos, oferecendo à criança uma experiência muito mais rica. Procure então, a partir de agora, novos significados para os brinquedos e brincadeiras, que afinal, têm um forte conteúdo de possibilidades agregado!

Referências: Minha querida boneca, Karin Evelyn Scheven Desvendando o crescimento, Bernard Lievegoed

TAGGED UNDER:ANTROPOSOFIA, BRINCADEIRAS, BRINQUEDOS, EDUCAÇÃO, PEDAGOGIA

76 visualizações

@ Hope Agencia