• Dra. Carmem

Dentes de Leite – Formação, Cuidados e Prevenção de Cáries

Atualizado: 1 de Out de 2019


Saiba mais sobre a dentição de leite e quais os cuidados importantes para que sua criança tenha dentes sem cáries.  Sugestão: leia esse artigo até o final, pois ele contém informações muito úteis.

Um resumo para começar:

  • Total de dentes de leite: 20

  • Início da erupção: entre 6 e 8 meses (variações em até um ano)

  • Completa-se: aos 2 anos e aproximadamente


Transtornos da erupção dentária em bebês

Muitas mães relatam transtornos em seus bebês que coincidem com a erupção dos dentinhos de leite.

Embora alguns pediatras não façam essa correlação, podemos observar na clínica alguns sintomas  mais comuns: agitação acima da média para a criança em questão, atira  brinquedos e objetos , irritabilidade, sono intranquilo(às vezes interrompido por gemidos), falta de apetite, diarreia  que, na maioria das vezes, tem coloração diferente da  de costume( mais amarelada e com odor forte), além de febre cuja causa não foi detectada pelo pediatra.


Nessa fase, para aliviar os sintomas, além dos mordedores frios, medicamentos Homeopáticos ou Antroposóficos podem ser uma boa alternativa.


Alguns bebês podem apresentar a gengiva arroxeada e inchada no local do dente que vai “nascer”, mas esses quadros normalmente são mais assustadores para quem vê do que doloridos para as crianças. O dente acaba nascendo sem a necessidade de medicações ou qualquer intervenção.


Dentição tardia

Muitos bebês podem ter sua dentição mais lenta, com erupção do primeiro dentinho aos 12 meses. Procure sempre um profissional especializado para que a boca do bebê seja examinada. Embora os casos de não formação dos dentes de leite sejam muito raros, as “anodontias”, como são chamadas, podem ocorrer e serem parciais ou totais.


Dentição precoce:

Quando o bebê já nasce com um dentinho ou esse aparece muito precocemente, o ideal é que  o bebê seja examinado por dentista especializado, pois vários aspectos precisam ser considerados quanto à manutenção do mesmo ou não na boca.


Cuidados com os dentes de leite – higiene


  • Com o início da erupção dos dentes de leite, atenção com a higiene bucal do bebê! Use uma gaze ou fralda embebida em água filtrada pelo menos três vezes ao dia nos dentinhos, gengiva, bochecha e língua.

  • Caso tenha dúvidas assista ao vídeo.Procure um dentista especializado em crianças e bebês (Odontopediatra) para uma primeira consulta perto dos 6 meses de idade.

  • Os pais precisam ser alertados sobre certos aspectos que podem evitar problemas mais sérios no futuro. Além disso,  faz toda a diferença quando, em uma emergência, ambos se conhecem,  profissional e criança.

  • Converse com o pediatra sobre alimentação e procure estabelecer bons hábitos alimentares.Cuidado com o hábito da mamadeira.

  • Leia mais em nosso artigo sobre cárie de mamadeira.Até os 12 meses, seu bebê deve estar arriscando os primeiros passos. Fique atenta com os acidentes envolvendo a boca e os dentinhos.

  • O uso de pasta dental com flúor é bastante controversa, mas em minha opinião, prefira as pastas sem flúor, principalmente num momento em que a criança ainda não sabe cuspir.


Quando nascem os primeiros dentes de leite?


Os dentes decíduos começam a “nascer” (erupcionar) por volta dos 6 meses de vida. Assista a esse lindo  vídeo,  pois você terá uma idéia do conjunto.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=Ck0g6tEmO4Q&feature=related[/youtube]

Há uma variação na cronologia da erupção, sendo que o mais frequente é o que segue na tabela abaixo.



A sequência de erupção é a mesma para ambos os arcos: incisivo central, incisivo lateral, primeiro molar, canino e segundo molar. Essa dentição se completa entre os 2 anos e 2 anos e meio, com a erupção dos segundos molares superiores.








A hora de ficar banguela



Tabela de troca dos dentes

Lembre-se de que aos 6 anos em média, sem que nenhum dente “caia”, nascem os molares permanentes, atrás dos últimos molares  de leite. Nessa fase é que também os dentinhos de baixo e da frente (incisivos inferiores) começam a ficar molinhos e dão lugar aos permanentes.


Fique  tranquila pois, nessa fase inicial, por causa da diferença de tamanho entre os dentes de leite e os  permanentes, eles ficam um pouco apinhados mas, na maioria dos casos, esse apinhamento é passageiro.  Nos primeiros seis meses após o nascimento desses dentinhos ocorre um crescimento do osso nessa região e eles, na maioria dos casos, acabam melhor “acomodados”.


Caso erupcione o dente permanente e o de leite não caia, esse deve ser extraído. Normalmente esse é um procedimeto tranqüilo, se a criança for bem condicionada PELO PROFISSIONAL.  Não adiante NADA SOBRE OS PROCEDIMENTOS DE EXTRAÇÃO PARA A CRIANÇA.


Manchas em dentes de leite


Fique atenta e siga as orientações de um odontopediatra com relação aos retornos periódicos sugeridos, pois o nascimento dos dentes de leite estará completo somente por volta dos dois anos de idade, até lá, seu bebê precisa ser examinado para termos certeza de que nenhum dente nasceu com  má formação.


As manchas em dentição decídua são menos  frequentes do que na dentição permanente, mas também podem ocorrer. Essas manchas  geralmente apresentam coloração amarelada, com  cavidades ou não.


Portanto, precisam ser examinadas. Não necessariamente elas irão se repetir  na dentição permanente.


Manchas esbranquiçadas podem ser resultado de acúmulo de placa bacteriana, com risco maior de cavitarem, ou seja, resultarem em  cárie.  Agrande maioria dessas manchas pode ser controlada e não evoluir . Leve sua criança para um profissional definir o que deve ser feito, inclusive em  termos de mudanças de hábito, para que seu filho consiga manter-se saudável e sem cáries.


Dentes de leite que nascem com má formação



Pode ocorrer de alguns dentes de leite nascerem com esmalte ou dentina irregular e precisarem de intervenção de profissional especializado para restauração. Com isso, a criança poderá se alimentar adequadamente e ter seus dentes higienizados.



Não é necessário esperar determinada idade para realizar as restaurações, o que seria um sofrimento e prejuízo muito grande para a criança.


Espero ter esclarecido alguns pontos sobre esse assunto, mas, caso ainda tenha alguma dúvida, deixe um comentário abaixo. E consulte sempre um odontopediatra!  Boa sorte!

Doutora Carmem Silvia – Dentista de Crianças

0 visualização

@ Hope Agencia